Segunda-Feira, 22 de Outubro de 2018

MPF
Sábado, 23 de Dezembro de 2017, 09h:59

COMBATE À CORRUPÇÃO

Grupo de Trabalho da Lava Jato, em Brasília, terá reforços a partir do próximo ano

Redação

Reprodução

Procuradoria Geral da República

Em portarias assinadas nesta quinta-feira (21), a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, oficializou a escolha de quatro procuradores da República que reforçarão a equipe da Secretaria da Função Penal Originária no Supremo Tribunal Federal (SFPO/STF). Dois dos selecionados atuarão de forma exclusiva no Grupo de Trabalho da Lava Jato. Pela primeira vez a escolha foi realizada por meio de processo seletivo regido por edital público. Com o reforço, o GT da Lava Jato passará a ter 10 membros.

Conforme previsto no edital, os candidatos precisaram comprovar que preenchiam critérios como experiência em Direito Penal, afinidade com o trabalho em equipe, além da familiaridade com atuação em grande volume de processos em prazos curtos. A seleção também considerou as regras previstas na Resolução 177/2017, do Conselho Superior do Ministério Público Federal (CSMPF), que limita em 10% do efetivo de cada unidade o percentual de membros que podem ser desonerados.

Reforçarão a SFPO/STF os procuradores Victor Riccely Lins Santos (Procuradoria da República no Amazonas), Galtienio da Cruz Paulino (Procuradoria da República no Maranhão), Leonardo Sampaio de Almeida (Procuradoria da República no Amazonas) e Lucas de Morais Gualtieri (Procuradoria da República em Pouso Alegre-MG). Os procuradores que atuarão de forma exclusiva no GT - Victor e Galtienio - terão 15 dias, contados a partir de 8 de janeiro, para se transferirem para Brasília.

O objetivo da medida é garantir celeridade e o devido aprofundamento das investigações criminais contra pessoas com prerrogativa de foro perante o STF. Os selecionados trabalharão como membros auxiliares da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, na condução de investigações judiciais e extrajudiciais. Atualmente, a PGR atua na condição de representante do Ministério Público Federal (MPF) em mais de 400 inquéritos e dezenas de ações penais em curso no STF.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!