Quinta-Feira, 06 de Agosto de 2020

MPE
Quarta-Feira, 15 de Julho de 2020, 10h:56

SINAL VERMELHO

Promotorias de Cáceres aderem à campanha contra violência doméstica

CLÊNIA GORETH

Reprodução

Campanha Cáceres

As Promotorias de Justiça do município de Cáceres, distante 217 km de Cuiabá, aderiram à campanha nacional “Sinal Vermelho Contra a Violência Doméstica”. A mobilização está sendo realizada por meio das redes sociais, sites, jornais e emissoras de TV e rádio. O Ministério Público também está fazendo um trabalho de sensibilização junto aos proprietários das 55 farmácias existentes no município.

A promotora de Justiça Eulália Natália Silva Melo destaca que a campanha é mais uma das formas de proteção à mulher vítima de violência doméstica, cujos índices de crimes, nesta época de pandemia, cresceram de forma acentuada. “Cáceres também não escapa dessa realidade. Assim como no restante do país, a situação é preocupante e precisamos do apoio de toda a sociedade para coibirmos essa prática”, ressaltou.

O objetivo da campanha é incentivar denúncias por meio de um símbolo: ao desenhar um “X” na mão e exibi-lo ao farmacêutico ou ao atendente da farmácia, a vítima poderá receber auxílio e acionar as autoridades. A ação conta com a participação de quase 10 mil farmácias em todo o país, e é uma resposta conjunta ao recente aumento nos registros de violência doméstica em meio à pandemia.

COMO PARTICIPAR:

a) Se uma mulher chegar à farmácia com um X vermelho na palma da mão, tal conduta deve ser entendida como uma denúncia silenciosa de violência doméstica.

a.1) A pessoa que atendê-la na farmácia deverá assim agir:

a.1.1) Não fazer muitas perguntas e agir com rapidez e acolhimento.

a.1.2) De forma reservada, usando os meios à sua disposição, o atendente deverá registrar o nome, o telefone e o endereço da vítima, bem como acionar o 190. Se a vítima disser que não quer a polícia naquele momento, ele assim deverá entender. Após a saída da vítima, deverá o farmacêutico transmitir as informações pelo telefone 190.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO