Segunda-Feira, 03 de Agosto de 2020

Mato Grosso

Quinta-Feira, 13 de Fevereiro de 2020, 08h:38

TRAMA SÓRDIDA

Abilio: Que vergonha Toninho! Você é capacho do prefeito, pau mandado do prefeito!

Cassação de Abilio é parte de trama para livrar Emanuel Pinheiro e Huark da Operação Sangria, afirmam vereadores

Cícero Henrique

Montagem

Avança na Câmara Municipal o plano do prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro, com apoio dos integrantes da Comissão de Ética - Toninho de Souza, Ricardo Saad e Vinicyus Hugueney - para invalidar a CPI da Saúde.

Na Prefeitura de Cuiabá foi tecida cuidadosamente a trama para afastar da disputa eleitoral o vereador Abilio Junior, principal adversário de Emanuel Pinheiro, e plantar a semente de nulidade para anular a Operação Sangria, alertou o vereador Diego Guimarães

O bode expiatório é o vereador Abilio Junior (PSC), cujo mandato está prestes a ser cassado com a desculpa esfarrapada que teria 'abusado' da autoridade de presidente da CPI da Saúde quando colheu documentos no Hospital São Benedito. Foram estes documentos que resultaram na Operação Sangria e na prisão do ex-secretário de Saúde do município, Huark Douglas.

Caldeirão Político

Prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro e Huark Douglas, ex-secretário municipal de Saúde

Prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro e Huark Douglas, ex-secretário municipal de Saúde

Se o Ministério Público não tomar providências para apurar a tentativa de obstrução da Justiça, a Operação Sangria será questionada com base no relatório do vereador Ricardo Saad na Comissão de Ética.

Ricardo Saad, que foi relator da CPI da Saúde, cujo relatório foi aprovado por unanimidade, de forma contraditória relata na Comissão de Ética que Abilio Junior 'abusou ' e cometeu 'quebra de decoro' quando investigou o Hospital São Benedito.

O processo de quebra de decoro movido pelo ex-diretor do Hospital São Benedito, Oseas Machado, suplente de Abilio Junior na Câmara, presidido pelo vereador Toninho de Souza, foi gestado cuidadosamente, passo a passo, para cassar o mandato do vereador Abilio Junior e plantar nulidade na CPI da Saúde. Como assinalado pelo advogado Carlos Rafael, todas as oitivas foram realizadas sem transparência, a portas fechadas, com cerceamento da defesa e veto a depoimento da testemunha que acompanhou toda a fiscalização no Hospital São Benedito e entregou os documentos que levaram Huark Douglas à prisão.

Leia também: Abilio Junior publica vídeos inéditos com detalhes da fiscalização que resultou na operação Sangria

toninho comissão de ética.jpg

 

Na manhã de ontem (12), o vereador Toninho de Souza encerrou a reunião da Comissão de Ética sem dar a palavra à defesa, que sequer foi convocada para a leitura do relatório. "Soubemos pela imprensa, na noite de quarta-feira, que o relatório seria lido na manhã seguinte às 7h. Não fomos convocados, nem o vereador Abilio. Isto é cerceamento de defesa", alertou o advogado Carlos Rafael.

- Que vergonha Toninho! Você é capacho do prefeito, pau mandado do prefeito! disse Abilio Junior para o presidente da Comissão de Ética, que saiu em silêncio.

Vale lembrar que Emanuel Pinheiro foi eleito colhendo os louros da campanha salarial dos servidores do Estado pela RGA, quando era deputado. À época não existia ainda a delação do ex-governador Silval Barbosa, que revelou em rede nacional o vídeo de Emanuel Pinheiro e outros parlamentares enchendo os bolsos do paletó com maços de dinheiro de propina. A delação revelou a face oculta do ex-deputado, que passou a ser conhecido como o 'prefeito do paletó'.

Os mesmos vereadores da Comissão de Ética que votam para cassar o mandato de Abilio Junior são os que se opõem à CPI do Paletó. Toninho de Souza preside a Comissão de Ética e a CPI do Paletó.

Os amigos do prefeito não querem ver expostas as provas da corrupção e tentam obstruir a Justiça.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO