Terça-Feira, 20 de Novembro de 2018

Judiciário
Terça-Feira, 14 de Agosto de 2018, 11h:56

CORRUPÇÃO NO JUDICIÁRIO

West Virgínia inicia impeachment de todos os ministros do tribunal superior do estado

João Ozorio de Melo

Reprodução

As tres juízas são acusadas também de usar carros oficiais para serviços pessoais e seus cartões de combustivel em viagens

O Comitê Judiciário de West Virginia, nos EUA, aprovou a instauração de processo de impeachment contra quatro dos cinco ministros do tribunal superior do estado, com base em 14 acusações de corrupção. O quinto ministro escapou do processo porque se aposentou antes do início dos procedimentos. Mas será processado porque, em um acordo com a Promotoria, se declarou culpado de fraude.

O estado poderá ficar sem nenhum ministro, até que seus substitutos sejam eleitos e tomem posse. Isso poderá ocorrer nas eleições gerais de novembro deste ano, se houver tempo. De outra forma, as eleições dos ministros ocorrerão concomitantemente com as eleições gerais de 2020, e o governador poderá nomear ministros para um mandato-tampão.

As acusações formais, chamadas de “artigos de impeachment”, são de improbidade administrativa, corrupção, incompetência, inobservância do dever e certos crimes peculiares de autoridades. O ministro Allen Loughry foi incluído em oito artigos; a presidente do tribunal, ministra Margaret Workman, e o ministro Robin Davis, em quatro artigos; e a ministra Beth Walker, em dois artigos.

O ministro Menis Ketchum renunciou ao cargo no mês passado, ao ser investigado por uso pessoal de veículos oficiais e cartões de combustível. Os demais ministros enfrentam, entre outras acusações, o que foi considerado um “escândalo”: o gasto de US$ 3,2 milhões (do dinheiro dos contribuintes) em renovações de seus gabinetes.

O ministro Allen Loughry, que foi enquadrado em oito artigos, também foi acusado de levar para casa uma escrivaninha antiga de US$ 42 mil e um sofá de couro de camurça de US$ 32 mil. Outras acusações se referem a computadores da corte levados para casa e o pagamento de fotos pessoais, documentos e obras de artes com dinheiro público.

Loughry, que também foi acusado de mentir para autoridades federais, legisladores e imprensa, além de coação de testemunha e obstrução da justiça, escreveu um livro em 2006 sobre a corrupção na política, segundo os jornais Charleston Gazette-MailThe Hill e Miami Herald.

Comentários

Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO