Sábado, 14 de Dezembro de 2019

Judiciário
Segunda-Feira, 25 de Novembro de 2019, 12h:49

POCONÉ

Assessor parlamentar teve o nome indevidamente relacionado a caso de homicídio, sustenta advogado

Advogados divulgaram uma nota esclarecendo que Jean Silva e a esposa, vereadora Camila, não têm nenhuma relação com a briga que resultou em homicídio em Poconé

Jô Navarro

Arquivo pessoal

Um homem de 24 anos foi baleado durante uma briga na noite de sábado (23) em Poconé (100 Km de Cuiabá). A vítima, identificada como  Igor César de Moraes de Souza, foi socorrida pela Samu, mas veio a falecer na manhã de domingo. O suspeito de atirar, segundo testemunhas, é Wanderson Arian Fernandes.

O caso foi noticiado pela imprensa local no último final de semana. Um site de Poconé publicou uma reportagem intitulada  “O irmão candidato derrotado a deputado estadual Jean Silva, Marido da vereadora Camila Silva, é suspeito de homicídio”. Ao ser replicada e compartilhada nas redes sociais, a manchete ganhou uma introdução  (veja o print abaixo) que confundiu os leitores, levando-os a crer que o suspeito de homicídio era o assessor parlamentar Jean Silva, marido da vereadora Camila, de Poconé. 

Reprodução

Print - notícia de homicídio

Wanderson Arian Fernandes é suspeito de atirar em homem durante uma briga

 

A notícia teve grande repercussão nas redes sociais e Jean Silva e Camila tornaram-se alvos de críticas e ataques verbais nos grupos de WhatsApp. O casal decidiu então recorrer aos advogados Daniel Ramalho e Elenice Schmidt. Estes entraram em contato com as redações dos sites que haviam noticiado o caso dando destaque ao nome de Jean e Camila, que não têm relação com o caso. A maioria deles optou por apagar a reportagem e um deles fez um pedido de desculpas formal no Instagram.

"Lamento o fato de terem envolvido o meu nome e de minha esposa em uma situação tão delicada, momento em que a cidade deveria estar enlutada, assim como nos estamos, armaram uma maracutaia encima de uma desgraça que aconteceu, uma tragédia inestimável, pegaram a
morte de um ser humano, e fizeram politicagem. É com sinceras dores e sentimento profundo de tristeza que lamento, junto ao povo Poconeano, a falta de qualidade de alguns políticos que temos, não respeitaram a família e o povo de Poconé”.

O advogado Daniel Ramalho (foto) defendeu a liberdade de imprensa e destacou que ela está diretamente relacionada à publicação da verdade sobre os fatos.  "Eu acredito que a liberdade de imprensa exige o Princípio da Verdade, haja vista que, se por um lado, lhe é reconhecido o direito de informar a sociedade sobre fatos e ideias, por outro, neste direito incide o dever de informar objetivamente, ou seja, sem alterar-lhes a verdade ou modificar o sentido original, uma vez que, assim agindo, não temos informação, mas deformação da verdade".

Os advogados divulgaram uma nota de esclarecimento sobre o caso e afirmam estar tomando as providências cabíveis.

NOTA DE ESCLARECIMENTO
Jean Silva e Camila Silva, por meio de seus advogados, que abaixo subscrevem, vem à público, diante da repercussão da matéria
veiculada envolvendo o seu nome e de sua esposa, vereadora Camila Silva, informar que:
- Considerando que, Jean Silva é evangélico e popularmente conhecido como “irmão Jean”;
- Considerando que, sites de notícias deram publicidade ao feito com título “O irmão candidato derrotado a deputado estadual Jean Silva,
Marido da vereadora Camila Silva”;
- Considerando que, as penas no Brasil são individuais, elas não vão além da pessoa que cometeu o crime, pelo Princípio da Transcendência ou da Pessoalidade, previsão do artigo 5º, XLV da nossa Constituição Federal do Brasil, a pena não pode recair sob terceiro;
- Considerando que, o suspeito do crime, Wanderson Arian Fernandes, é um homem maior de idade, com cadastro nacional de pessoa física e registro geral, devidamente inscrito em seus respectivos órgãos, sendo plenamente capaz de responder pelos seus atos;
Informamos a sociedade mato-grossense, em especial a cidade de Poconé, que lamentamos o ocorrido, que o Senhor Jean e a Senhora Camila são contrários a qualquer tipo de violência e reconhecem que a perda de um ente amado é algo impagável, que não há pena, castigo ou reprimenda que vá amenizar a dor. Só Deus que poderá confortar a família e os amigos nesse momento de luto que se pereniza.
Entretanto se faz necessário esclarecer que, sites de notícias foram tendenciosos, e usaram de uma tragédia, para atacar deliberadamente pessoas que não tinham ligação nenhuma com o crime.
Agradecemos aos sites de noticia de respeito e credibilidade que prontamente nos atendeu, retirando a matéria veiculada de forma equivocada.
Ademais, informamos que as devidas providencias foram tomadas, tanto na esfera cível como criminal.

Cuiabá 25 de novembro de 2019
Daniel Ramalho ELENICE SCHMIDT
Advogado Advogada

5 COMENTÁRIOS:

So uma coisa dizer, triste por ter pessoas e profissionais da midia desta forma, ainda bem que temos alguns que zelam pela vdd..
enviado por: Sueli em 26/11/2019 às 08:48:08
0
 
0
responder
Jean eu te conheço vc e sua família, sempre foram pessoas de bem, se foi seu irmao que cometeu o crime, algum motivo forte deve existir para isso. Deus abençoe vocês e minha futura prefeita..
enviado por: Elias em 25/11/2019 às 17:43:48
0
 
0
responder
Dr. Daniel, parabéns, sempre atuando.
enviado por: Bruna Eliza em 25/11/2019 às 17:34:17
0
 
0
responder
Esse adevogado é foda, todo caso polemico ele esta no meio, bixo deve ser bom..
enviado por: Rafael em 25/11/2019 às 17:05:46
0
 
0
responder
Esse site e da prefeitura aliado ao prefeito, uma vergonha, usar da desgraça alheia para isso.
enviado por: Renan em 25/11/2019 às 14:35:23
0
 
0
responder

LEIA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO